Impotência sexual, tudo que você precisa saber

Impotência sexual, tudo que você precisa saber sobre esse assunto

A impotência sexual, que também pode ser chamada de disfunção erétil, é um assunto que maiorias dos homens é um tanto quanto delicado.

Pesquisas mostram que cerca de 25 milhões de homens, sofrem dessa patologia. Isso porque envolve muito mais que a condição física, afeta também a autoestima e o emocional.

Precisamos entender que o cérebro tem uma ligação fundamental com o mecanismo de interação.

Como funciona?

O pênis é formado de dois grupos de fibra nervosas. Uma delas contém sinais que impedem a ereção; e a outra sinais excitantes que ajudam na ereção.

Os dois sinais juntos se integram na medula, que fica no centro da coluna vertebral. O pênis pode enrijecer sem a ajuda do cérebro por reflexo do indivíduo nessa região.

Por meio dos nervos a comunicação e os sinais entram em contato com a região mais profunda do cérebro, aquela em que recebemos nossas memórias e emoções, que se articula com a parte do cérebro onde se toma decisões e processa raciocínios.

Juntos esses neurônios têm ação de fazer com que o sangue nas artérias entre nos corpos cavernosos e promova a ereção. Quando o sangue volta para a circulação normal do corpo, o pênis fica flácido e a ereção desaparece.

Quando esse mecanismo não está funcionando da maneira correta essa pode ser a causa das disfunções eréteis. Agora a impotência sexual, se refere a qualquer sintoma que esteja prejudicando a vida sexual.

Disfunção Erétil

Para alguém ser considerado impotente deve haver uma disfunção erétil permanente. Não apenas ocasionais falhas de ereção, isso teria de ser constante.

Quando falamos de impotência nos referimos a manifestações da sexualidade masculina que não te haver com ereção como a falta de desejo sexual ou orgasmo e ejaculação precoce.

Quem é afetado?

A população adulta acima de 18 anos, se estima que 52% dos homens apresentaram algum grau da disfunção erétil desses podemos separar em: 10% são os casos graves, 25% são os casos de disfunção moderada e 17% os de disfunção mínima.

Essa condição se torna mais evidente por volta dos 40 anos, mas em condições excepcionais jovens podem desenvolver a doença, mas o que da para adiantar é que ela não é permanente e não é inevitável como alguns pensam.

Saúde mental

Quando se recebe o diagnostico não quer dizer que a partir daquele momento o homem não poderá mais ter relações sexuais. É possível que esse problema seja tratado e não seja um problema crônico. Tudo vai depender de como depois de diagnosticado o indivíduo vai resolver agir. Causas emocionais e mentais que dificultam a ereção:

Ansiedade – O medo de falhar por uma segunda vez pode ser prejudicial.

Falta de controle ejaculatório – Aquele medo de ejacular depressa demais e não dar prazer a parceira, pode criar uma ansiedade tão grande que acontece a falha na hora do ato sexual.

Estresse – Rotinas árduas podem levar ao esgotamento mental, emocional e físico.

Baixa autoestima – Insegurança, pressão para ter um bom desempenho em relações sexuais. O medo de não cometer nenhum erro.

Timidez – Dificuldade de expressar emoções e seus desejos sexuais, pode causar a frustação de relações sexuais por ser mais propenso a impotência.

Relacionamento interpessoais – A relação com sua parceira deve ser levada em consideração. Quando estão com problemas não resolvidos, podem mentalmente ter o desejo de se afastar, embora prossigam no relacionamento, desencadeando uma impotência sexual.

Esse é um assunto bem delicado para maioria dos homens por isso a saúde mental e muito importante, porém é algo pouco discutido. Especialmente porque a maioria descarta qualquer conversa sobre o assunto. Mas ao contrário do que se pensa essas conversas podem ser muito importantes para ajudar o homem a lidar com essa disfunção.

Por que os homens hesitam em procurar ajuda?

É muito fácil para um homem chegar no médico e se queixar de falta de ar, gripe ou quem sabe dores no estômago. Agora admitir sua impotência de manter relações sexuais é difícil e deprimente. Na grande maioria das vezes esses homens só vão pedir ajuda porque são estimulados por suas parceiras, eles acabam aceitando porque essa impotência está colocando sua relação em jogo. A mulher em geral pode ficar insegura acreditando que a impotência é devido a uma relação extra conjugal ou ainda porque ele talvez a ache menos atraente do que antes.

Quais são os principais sintomas para identificar a impotência?

Além do sintoma mais conhecido que é dificuldade de manter uma ereção existem outros sintomas. E que podem ser facilmente identificados durante as relações sexuais, já que eles de modo geral acontecem com frequência, alguns são:

° Maior necessidade de concentração para alcançar a ereção;

° Redução da libido sexual;

° Ereções espontâneas, por exemplo, durante o período noturno ou de manhã;

° Ereção mais flácida;

° Ereção tardia ou precoce;

° Redução dos pelos corporais;

° Alteração na anatomia do órgão, surgimento de calombos ou redução do tamanho.

° Demora para conseguir a ereção;

° Cansaço muito rápido durante a relação sexual.

Embora esses sejam os sintomas mais comuns vale lembrar que cada caso é um caso. Então cada indivíduo pode apresentar sintomas distintos de outro. Embora os mais comuns como problemas com ereção ou ejaculação precoce geralmente estão presentes em todos os casos.

Fatores que podem agravar a situação:

° Consumo de álcool em excesso

° Enfermidades hormonais (diabetes, tireoide desregulada, obesidade, osteoporose entre outros)

° Doenças neurológicas

° Doenças vasculares

° Medicamentos

° Sedentarismo

° Tabagismo

Procure cuidar de sua saúde física para que você consiga ter uma melhor vida sexual. Alimentação, rotina de atividades físicas e uma boa saúde mental são essenciais para ter um bom desempenho sexual.

O que dizer dos remédios para impotência?

Podem ser fortes aliados nessa luta, há alguns que atuam como vasodilatores e estimulantes; alguns medicamentos que são aplicados localmente, outros para injeção peniana que geralmente são usados por pacientes que não podem fazer uso de medicamentos via oral ou tópica.

Pode ser que aconteça de o indivíduo descobrir com ajuda de exames médicos falta de hormônios, então eles podem ser tratados com a substituição dos hormônios em falta como por exemplo a testosterona, esse remédio para impotência pode ser consumido de forma oral, em forma injetável e em forma de gel.

Em alguns casos mais graves remédios para impotência precisam ser mais invasivos, como injeções. Essa injeção é dada pelo próprio individuo antes das relações sexuais, daí depois de 5 a 10 minutos, ele consegue ter a ereção. Esse tratamento é menos aceito pelos pacientes por causa do desconforto que tem ao receber as injeções.

Mas podemos dizer que esses remédios para impotência são grandes e essenciais ajudas para vencer esse mal e se aliados a um bom estilo de vida vão reverter a situação em pouco tempo.

Remédios para impotência prejudicam o coração, é verdade mesmo?

Não há nenhuma comprovação em sentido científico para validar essa afirmação. Todos os medicamentos que tomamos em nossa vida, precisam ser tomados com consciência, se não forem logicamente podem gerar efeitos colaterais. Por isso é importante seguir instruções especificas para o uso de um medicamento.

Até quando um homem pode estar ativo sexualmente?

Não existe nenhum padrão sexual. A sexualidade varia de instante em instante e de um indivíduo para outro. Depende do relacionamento, como exemplo as pessoas tendem a ter mais relações sexuais quando estão de férias, muito embora o parceiro não mudou e sim o ambiente e o perfil da libido. Por isso não seria correto criar um padrão de idade.

A falta de ereção e de sexualidade não estão ligadas ao envelhecimento por assim dizer. Agora a maneira como o individuo encara a velhice essa sim faz muita diferença até mesmo na sua vida sexual. Um homem de 90 anos de idade pode ter relações sexuais satisfatórias, com ereção, além de ser otimista e disposto. Qualidades que fazem toda a diferença. Já em indivíduos mais novos essa capacidade pode não estar presente por sofrerem de doenças ou por estarem deprimidos.

Sendo assim não existe uma idade específica para a impotência e sim condições que podem levar a ela.

Encare a dificuldade com mais leveza

Se por acaso você se depara com alguns desses problemas que podem te levar a impotência. Fique calmo como vimos isso não é irreversível e nem impossível de curar. Tente encarar a situação com menos pressão, seja uma pessoa aberta com sua parceira, converse com ela sobre o que vem acontecendo, ele te ama e vai ajudar você até porque quer manter uma vida sexual ativa com você.

Tire da sua mente pensamentos negativos e não se esqueça: procure ajuda médica. Caso seja necessário entre com a ajuda de remédios para a impotência, eles são de grande ajuda para muitos homens que passam pelo mesmo problema que você pode estar passando agora. Isso não é motivo de vergonha, fique tranquilo quanto a isso.

E lembre-se do mesmo modo que você esteja precisando dessa ajudinha, você não está sozinho e pode ter certeza muitos vão precisar e já precisaram se pudesse conhecê-los com certeza eles iriam dizer aliviados como foi útil a ajuda que receberam. Você consegue vencer a impotência!

 

Leave a Reply